Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

30
Ago18

A dispersão salarial

Albertino Ferreira

O gráfico que se apresenta é rico em informação, desde logo a primeira grande conclusão, é a de que a desigualdade salarial entre os trabalhadores dos diferentes níveis hierárquicos - medida pela relação entre os salários mais elevados em cada nível - está a diminuir; essa diminuição é mais sensível entre as remunerações dos 10% dos assalariados com maiores vencimentos e os 10% que recebem menos, uma queda de 0,69; mesmo assim, os de cima auferem quase 4 vezes mais do que os de baixo (barra preta).

Em segundo lugar, reduz-se também a diferença entre os menores salários e os salários medianos, os do meio, (barra lilás).

Em terceiro, em queda está igualmente a diferença entre os vencimentos mais elevados e os medianos (barra laranja).

Finalmente, deve sublinhar-se que a desigualdade cresce com a subida dos níveis salariais, ou seja, a desigualdade na parte superior da tabela, entre os salários mais elevados e os medianos, (barra laranja) é substancialmente maior do que a desigualdade na parte inferior, entre os salários medianos e os salários mais baixos (barra lilás).

A imagem que resulta é a de um corpo raquítico, com o peito menos enfezado e uma grande cabeça...

ds.png

 

30
Ago18

Salário Médio Anual Bruto

Albertino Ferreira

Em termos correntes, isto é, sem ter em conta os efeitos corrosivos da inflação, o salário ou vencimento médio dos trabalhadores portugueses (os assalariados a tempo inteiro em todos os setores da economia) aumentou entre o ano 2000 e 2017. Os valores referidos são brutos, não estão descontados dos impostos diretos e contribuições para os sistemas de saúde que se pagam, ou seja, não são valores líquidos, aqueles que efetivamente se recebem.

smba.png

Sem dúvida, independentemente de outras considerações, tal subida é motivo de satisfação. Que, no entanto, fica bastante abalada quando se compara o salário médio português com outros países da Zona Euro, citados pela OCDE. O nosso é dos mais baixos; o do Luxemburgo, por exemplo, é quase 4 vezes superior. 

smba1.png

Esclareça-se, ainda, que o montante do salário não é o mais significativo em si, o que verdadeiramente interessa é a quantidade de bens e serviços que com ele se pode adquirir, o que configura o seu valor real, que se obtém quando se limpam os efeitos da inflação. Neste caso é a tristeza, o salário real diminuiu; em 2017, o poder de compra dos trabalhadores assalariados foi inferior ao de 2000 em quase 700€.

smbra.png

 

O que aconteceu apenas em Portugal e na Grécia, onde os trabalhadores perderam poder de compra. Em todos os outros países ganharam.

smbra2.png

Como é visível no gráfico acima - onde se plasmam as diferenças em valores absolutos, em € -  e no gráfico abaixo, onde se registam as diferenças percentuais. Repare-se na Alemanha, um país, cujo governo é conhecido por exigir austeridade a todos os outros, mas no qual os salários reais aumentaram quase 14%.

smbra3.png

Finalmente, não se deve esquecer que estes são valores médios, ou seja, pode haver trabalhadores que não tiveram variação alguma, outros que até passaram a ganhar mais em termos reais e outros ainda cujas perdas terão sido maiores dos que as calculadas. 

Cabe a cada um, se estiver interessado, avaliar do seu caso em particular, se está dentro da grande tendência revelada, o que terá acontecido à grande maioria, ou se a sua é uma situação diferente. 

29
Ago18

O Valor Real do Salário Mínimo

Albertino Ferreira

O poder de compra do salário mínimo nacional - a quantidade de bens e serviços que com ele se pode adquirir - tem vindo a aumentar, ou seja, o salário mínimo tem crescido em termos reais.

A OCDE calcula essa evolução por dois métodos: usando as paridades de poder de compra, que se apresenta mais risonho, e recorrendo à taxa de câmbio oficial do dólar. 

Qualquer dos métodos tem as suas vantagens e desvantagens. O importante é que por ambos se chega à mesma tendência de crescimento real, embora com valores diferentes (o valor de facto do dia a dia deverá encontrar-se entre os valores apresentados por cada forma de cálculo). 

 

smr.jpg

 

smrd.png

 

O que foi dito atrás não obsta à constatação de que o valor real do  salário mínimo de Portugal é inferior à média da OCDE...

smrppp.png

 

smrd1.png

 

28
Ago18

Portugal, País de Baixos Salários

Albertino Ferreira

O recurso a diferentes fontes, e métodos de cálculo, confirmam, Portugal é um país de baixos salários; é esse o modelo de desenvolvimento que está implantado no país. Todos os discursos em contrário, escutados ao longo dos anos, têm de ser entendidos como mistificação oficial. A realidade deixa lugar para outra interpretação?

Portugal é o país mais ocidental da União Europeia, mas em termos salariais está integrado no leste da mesma!

 

salário.png

 

salário1.jpg

 

Pág. 1/11

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D