Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

20
Dez18

Relação Homens/Mulheres

Albertino Ferreira

A fonte dos dados é credível mas, mesmo assim, há situações que levantam dúvidas. Poucos anos após a 2.ª GM o número de homens e de mulheres era o mesmo em França? Na Bélgica até era superior? É possível, falta conhecer a explicação.

Os dados para Portugal ajudam a mostrar como era deformada e longe da realidade a opinião, tão popularmente espalhada, segundo a qual existiriam 7 mulheres para cada homem. 

DrqBZCCU4AAJ3FO.jpg

 

18
Nov18

Os custos laborais aos altos e baixos

Albertino Ferreira

Os custos laborais em Portugal (vencimentos e salários) na indústria, construção e serviços voltaram a cair no primeiro trimestre de 2018 para valores inferiores aos de 2012, repetindo o acontecido no 1.º trimestre de 2016 e no 1.º de 2017.

 

cl1.png

 Dessa forma, Portugal é dos poucos países cujos custos laborais nos primeiros 3 meses de 2018 são inferiores aos de 2012.

cl2.png

 

cl3.png

Reduzindo o período de análise, Portugal encontra-se igualmente entre os países cujos custos laborais diminuiram no início de 2018 relativamente ao valor final apurado em 2015.

cl4.png

 

cl5.png

Nota: Os cálculos são feitos sem ajustamento ao calendário e à sazonalidade, o que significa que se ignoraram o efeito do calendário diferente de trabalho dos vários países (feriados, gozo de férias, por exemplo) assim como o efeito da sazonalidade (a título de ilustração: sabe-se que há atividades que registam um pico em determinadas épocas do ano, o verão, no caso do turismo).

19
Set18

Índice de Risco da Infância

Albertino Ferreira

Pelo Índice de Risco da Infância, da Save the Children, Portugal está bem colocado entre os países da Europa, da Euro-Ásia e a Ásia Ocidental (o valor máximo do IRI é 1000,que nenhum país alcança).

As crianças e jovens no nosso país estão bem cuidados, embora se possa melhorar. 

 

rinf.png

 

Aliás, deve notar-se, que, segundo a Save the Children, situação no nosso país retrocedeu em relação ao ano anterior.

 

rinf1.png

 

 

 

 

"El índice compara los distintos países en función de un conjunto de indicadores que representan acontecimientos que tienen un profundo impacto en la vida y que representan la interrupción del disfrute de la niñez: la mala salud, la malnutrición, la exclusión de la educación, el trabajo infantil, el matrimonio precoz, el embarazo precoz y la violencia extrema."

 

"Las diferentes puntuaciones significan, a grandes rasgos, lo siguiente:


940 o superior Pocos niños y niñas se están perdiendo su niñez


De 760 a 939 Algunos niños y niñas se están perdiendo su niñez


De 600 a 759 Muchos niños y niñas se están perdiendo su niñez


De 380 a 599 La mayoría de los niños y las niñas se están perdiendo su niñez


379 o inferior Casi todos los niños y las niñas se están perdiendo su niñez"

09
Set18

Ganhos Horários dos Trabalhadores no Setor Privado

Albertino Ferreira

Como nos últimos três anos o valor do índice é inferior a 100 - o índice escolhido para comparação, calculado com os ganhos de 2010 - isso significa que, nesses anos, os ganhos horários dos trabalhadores no setor privado foram inferiores aos de 2010. 

Muito embora tenha havido uma recuperação, em 2017 os trabalhadores receberam menos do que em 2010 em cada hora de trabalho,

Aliás, Portugal foi o único país onde isso aconteceu, de entre os indicados pela OCDE.

 

gh_prt.png

 

 

gh1_prt.png

 

 

10
Jun18

Índice de Dependência de Idosos

Albertino Ferreira

 

O IDI português está acima da média da União Europeia, aliás, até é dos mais elevados. É uma consequência do elevado envelhecimento da população.

O índice de dependência de idosos é o número de pessoas com 65 e mais anos por cada 100 pessoas em idade activa, ou seja, com 15 a 64 anos. Um valor inferior a 100 significa que há menos idosos do que pessoas em idade activa.” INE

Este indicador costuma desencadear grandes preocupações sobre a sustentabilidade da Segurança Social. Quanto maior for, pior para a SS. É um pouco a visão da "peste grisalha", o envelhecimento seria um problema para a sociedade. Não é, é um bem. Aqueles que espalham esse alarmismo 'esquecem' o desenvolvimento científico e técnico, o aumento da produtividade, da capacidade de produzir riqueza, que no futuro será muito maior. Estão sempre a falar dessa possibilidade, mas não a relacionam com a Segurança Social. Então, se será produzida riqueza, muito mais riqueza, para quem será? Se haverá mais, como pode haver maior dificuldade em repartir?

 

idi.jpg

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D