Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

04
Out18

A Família de Ontem e do Hoje.

Albertino Ferreira

A mudança na forma de relacionamento e na família ocorre com grande rapidez social e poderá ser muito maior do que se julga. É o que se pode concluir, julgo, pelo crescente número de nascimentos fora do casamento formal, como atestam todos os dados. A evolução acontece em todo o lado, Portugal é dos países onde ocorre mais rapidamente.

 

DmZwkfCluUDOTdszpXkAn0w7Z_IggAfzdjT0IdqcMEw.png

 

 

17
Jun18

Nascimentos Fora do Casamento Registado

Albertino Ferreira

 

Em Portugal, mais de metade dos nascimentos ocorrem já fora do casamento registado; estamos em 7.º lugar na União Europeia por esse indicador.

 

nfc.png

 

Observando-se por regiões, é na região norte que menos se nasce fora do casamento tradicional. A maior influência da Igreja Católica deve ser o principal fator explicativo.

 

nfcr.png

 

 

12
Mai18

A Solidão na Velhice é Feminina

Albertino Ferreira

 

A morte é um buldozer a destruir casamentos, mais de 45 mil em 2017; na maioria dos casos, 7 em cada 10, é o marido que falece, o que significa que a viuvez é predominantemente feminina.

Como, em regra, estes são eventos das idades avançadas, são as mulheres que ficam sós, sem o companheiro da vida! A solidão na velhice conjuga-se igualmente no feminino.

Por fim, está também a aumentar a dissolução por morte de casamentos entre pessoas do mesmo sexo; embora o seu número mal ultrapasse a dezena (11).

 

cadi.png

 

 

 

04
Mai18

Os Homens Casam Mais Entre Si do que as Mulheres

Albertino Ferreira

 

 

Os casamentos voltaram a aumentar em 2017 (+1235), como acontece desde 2015; quase todos aconteceram entre pessoas de sexo oposto.

O número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo subiu também, ultrapassou o meio milhar (523), com mais de metade (53,9%) a ocorrer entre homens.

O casamento civil é largamente preponderante, praticamente 2 em cada 3 é celebrado dessa forma; os que seguem as normas católicas representam pouco mais de um terço e estão em diminuição; os que respeitam outros ritos religiosos são residuais (0,5%).

O verão é a época do ano preferida para casar, com o mês de agosto a ser o mais escolhido; do lado contrário, fevereiro é o mês em que menos se dá o enlace.

Por fim, o casamento cada vez mais constituí a formalização de uma situação já existente, uma vez que, em cerca de 3 em cada 5, os nubentes já viviam juntos.

 

cpms (1).png

 

nubentes.png

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D