Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

13
Jul19

O esforço de Portugal com a Saúde não impressiona

Albertino Ferreira

É certo que está ligeiramente acima da média da OCDE, mas longe dos melhores lugares. Mais importante do que a relação com o PIB é saber se o que está a ser feito é o suficiente para atender às necessidades e direitos de utentes e dos profissionais do setor, sem os quais não há bom serviço. A resposta parece ser negativa a concluir pelos notícias que saem a público de forma quase permanente. Portugal precisa de investir mais na saúde para para cuidar devidamente da sua população, cuja idade vai avançando.

DgxD0FLXUAIUElN.jpg

 

28
Mar19

Despesas militares elevadas em Portugal

Albertino Ferreira

Qual a necessidade para Portugal se encontrar entre os países da Nato com maiores despesas militares face à sua riqueza? O que ganhamos com isso? Que contributo vem daí para o nosso desenvolvimento?

Finalmente, para não alimentar fobias, não deixe de se reparar que o gasto militar conjunto dos países europeus da Nato supera em muito o da Rússia.

Europa-Geopolítica-Economía-Seguridad-Defensa-Co

 

27
Mar19

Despesas militares no mundo

Albertino Ferreira

Que loucura, que desperdício, que problemas já não se teriam resolvido com a aplicação útil desses fabulosos recursos, a doença e a fome, por exemplo, já feriam parte da história da humanidade, muito provavelmente.

Mundo-Geopolítica-Economía-Conflictos-Seguridad-

Note-se que a unidade escolhida, percentagem do PIB, prova o esforço que cada país faz em face da grandeza da sua economia, isto é, não mostra o valor absoluto da despesa militar de cada país.

29
Dez18

Os gastos com a saúde pesam às famílias portuguesas

Albertino Ferreira

As despesas com a saúde representam 9% do Produto Interno Bruto, o que coloca Portugal acima da média da OCDE. 

São dados globais que trazem surpresa quando decompostos nas suas duas componentes, a pública, a do Estado, e a privada, ou a dos cidadãos. 

 

DgxD0FLXUAIUElN.jpg

De facto, quanto ao financiamento estatal, a posição de Portugal cai, passa a ser inferior à média da OCDE.

FP.png

Em contrapartida, o peso que as famílias suportam com os encargos com a saúde, volta a colocar Portugal nitidamente acima da média da OCDE; aliás, de entre os 36 países dessa Organização, as famílias portuguesas são das que mais comparticipam do seu bolso para os cuidados de saúde, para além dos impostos e dos descontos a que são obrigadas para o efeito.

FF.png

 

27
Dez18

O Estado Empurra para as Famílias os Encargos com a Saúde

Albertino Ferreira

Os encargos com a saúde representavam 9% do PIB em 2017; destes, 6% corriam à conta do Estado e 3% eram assegurados pelas famílias.

fs.png

Os números apresentados permitem constatar que o Estado se desfaz progressivamente das suas responsabilidades na saúde empurrando-as para as famílias. De facto, no ano 2000, o Estado assegurava 70,47% do financiamento da saúde, valor que baixou para 66,64% em 2017; por contrapartida dos encargos suportados pelas famílias, que subiram de 29,53%, em 2000, para 33,36% em 2017.

fs1.png

 

O que comprova a crescente desresponsabilização do Estado em assegurar o direito à saúde dos seus cidadãos, vendo-se estes na contingência de substituir o Estado no que este devia, mas não faz. E os valores em causa são já muito significativos.

Assim, em 2000, por cada 5€ que o Estado aplicava na saúde, as famílias gastavam 2€; 

Em comparação, em 2017, por cada 2€ que o Estado assegurava, as famílias, por seu lado, tinham de garantir 1€!

fs2.png

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D