Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

03
Jun19

Deputados ao Parlamento Europeu por País

Albertino Ferreira

Portugal começou com 24, está nos 21. Parece justo, mas consagra a desigualdade entre países pela mera razão de ser da diferença populacional. O que significa que a União Europeia não funciona na base da igualdade de países soberanos, mas mais de acordo com as regras das sociedades comerciais, onde os sócios de maior capital é que dominam. Encarar as relações entre países como as relações entre sócios de uma sociedade não parece lá muito adequado.

dpe.png

 

31
Mai19

O ambientalismo genérico e as realidades da vida

Albertino Ferreira

O que vejo do ambientalismo vocalizado por Greta Thunderg são generalidades, gritos de alma,  apelos, algumas bravatas infantis,  nada de concreto, nada de causas, nada de apontar caminhos. Ou seja, entretimento, um caminho que vai dar em nada.

Agir utilmente sobre a realidade exige trilhar percursos concretos, conhecer os obstáculos que se tem de ultrapassar.

Por exemplo, falar do ambientalismo, esquecendo a questão militar é um contra-senso. Será possível resolver a questão climática sem controlar a besta militar que cada vez mais recursos consome e tudo ameaça. Discute-se a temperatura do mundo e deixam-se guerras acontecer?

61453137_438094053419868_2292849625041731584_n.jpg

 

 

08
Mai19

Ficam a saber

Albertino Ferreira

Para a justiça social, para devolver os anos de trabalho roubados, para o bem estar dos trabalhadores do presente, passado e futuro e da generalidade dos portugueses qualquer dinheiro afunda as contas públicas.

Para a banca, o dinheiro corre sem fim, que aí não há problema, ne aparecem as vozes do costume a gritar que não há dinheiro.

59519759_2019041011738849_8188234465537949696_n.jp

Esta é das situações que levam vários a afirmar que a política é imunda. Mas mais do que  atirar essas charadas repetidas ad eternum, o que urge é atuar para que a política sirva os interesses da grande maioria.

 

02
Mai19

Os gastos militares no mundo e as mentiras que caem

Albertino Ferreira

O SIPRI acaba de divulgar as despesas militares no mundo, em 2018, dados muito clarificadores da realidade e que desmontam várias das aldrabices com que nos tentam manipular.

Resulta evidente que, se de ameaças se fala, a grande ameaça são os EUA, que gastam como ninguém mais.

A suposta ameaça militar russa fica a ridículo, na Europa até a França tem despesas militares maiores.

E pelo cano do esgoto vai também essa ideia peregrina de que a União Europeia precisa de um exército próprio. Uma vez que os números desmostram que na Europa são os páises da União Europeia que de longe mais gastam em com a dita defesa.  Os números estão aí. O problema da UE não são militares a menos, mas a mais.

D5TWmkKXoAAHOnD.jpg

A NATO constantemente está a matraquear sobre a suposta ameaça da Rússia. Ora, os números são arrasadores, o orçamento militar dos países da Nato ultrapassa os 960 mil milhões de dólares, enquanto o da Rússi é de pouco mais de 61 mil milhões. Os responsáveis sabem disso, mas não têm qualquer topete em mentir sobre a suposta ameaça russa.

D5TqhOMXsAAu9ri.jpg

O mundo desperdiça demasiado dinheiro com a loucura dos armamentos; os EUA, por si só,  asseguram 36% dos gastos totais, e não estão satisfeitos, querem mais, quando o que deveriam era liderar o mundo para a diminuição de todas essas despesas inúteis e perigosas. Dessa forma seriam admirados. Não é com mais armas que aumentarão o seu prestígio.

D5TIQw0XoAEEGQQ.jpg

É sintomático o silêncio que caiu sobre este relatório; o poder instalado, os seus governos e comunicação social não querem que a população se aperceba como eles estão sempre a aldrabar.

01
Mai19

Trabalha-se muito, ganha-se pouco

Albertino Ferreira

É uma máxima que se aplica perfeitamente a Portugal, dos países com mais horas semanais de trabalho e também dos que têm menor nível salarial, como é conhecido.

E assim se mantém porque é esse o interesse da classe empresarial e os sucessivos governos e presidentes ao longo destes anos todos, por muito que digam o contrário, mas a verdade é como ela é, de facto, não como andam a cantarolar que é.

O tempo, as estatísticas, são como o algodão, não enganam.

Responsabilidade têm também os trabalhadores portugueses, que muitos se contentam, ou resmungam sempre contra os outros, mexerem-se eles para resolver os seus problemas é que não.

D5AEV55X4AAqXI3.png

 

D41LvJMXoAA46CM.jpg

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D