Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

01
Ago19

Dos jovens que menos auferem

Albertino Ferreira

Os jovens portugueses, com idades compreendidas entre os 18 anos e os 24 anos, são dos que possuem menor rendimento ao nível dos países da União Europeia, ou, por outras palavras, dos mais explorados.

Sem qualquer dúvida, ao nível do rendimento a juventude portuguesa é bastante destratada pelo poder político e económica vigente.

Tenha-se em atenção de que 50% dos jovens em questão não atingem o nível de rendimentos indicado, o que perfaz um panorama da realidade vivida ainda menos agradável do que o retratado pelo gráfico.

rdm_1824.png

 

 

30
Jul19

Juventude maltratada

Albertino Ferreira

A maioria dos portugueses encontra-se limitada aos baixos rendimentos. A situação dos jovens menores de 18 anos ainda é pior. Aqui, os jovens portugueses são os oitavos na União Europeia com o menor nível de rendimentos, enquanto no total Portugal está um lugar acima.

Tanto que se fala na juventude, vai-se a ver e é o que há. O que pensarão disso os jovens que, nas campanhas eleitorais,  se limitam a fazer de cenário de enquadramento para os discursos dos dirigentes dos partidos políticos que têm governado Portugal?

RDMj.png

 

27
Abr19

Os eleitores descobriram a imortalidade.

Albertino Ferreira

Em Portugal (2017), os eleitores registados somados ao número de jovens com menos de 15 anos superam o total da população residente; A diferença seria ainda maior se fosse considerado o número de jovens com 15 ou mais anos e menos de 18 anos.

Mesmo considerando que nem todos os eleitores estão incluídos na população total (emigrantes) não se foge da conclusão de que os eleitores realizam o sonho da imortalidade; as pessoas morrem, os eleitores não.

 

1eleitores.png

 

eleitores.png

É óbvio que os cadernos eleitorais não são atualizados como deviam ser... E isso pode dar azo ao que não se quer acreditar que possa acontecer.

 

05
Abr19

Por abril

Albertino Ferreira

O individualismo extremado, fanatizado, tão em voga, reinante também em meios caviares, onde tudo começa e acaba no "eu", não é abril, é anti-abril.

 

 

Forçar os jovens, e menos jovens, à emigração para conseguir a realização pessoal e profissional não é abril, é pontapear abril.

26
Mar19

A abstenção eleitoral dos jovens é elevada em Portugal

Albertino Ferreira

Portugal regista das maiores abstenções eleitorais dos jovens no seio da União Europeia - 42%.

É criticável esse alheamento? O que julgam os abstencionistas? Que o seu voto não vale nada, ou que assim é porque se enganam nos partidos em que votam?

Talvez mais importante, se consideram que a sua voz não é escutada através do voto, então de que forma pensam que o poderia ser?

Finalmente, além do alheamento e da crítica verbal, o que fazem para tentar alterar o estado de coisas?

Dzrg_G3XQAExZhO.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D