Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

16
Ago18

O Género da Desigualdade

Albertino Ferreira

A desigualdade dos ganhos das mulheres portuguesas face ao dos homens supera a média da OCDE, atingindo o valor de 14,3%; ou seja, os vencimentos medianos das mulheres representam 85,7% do dos homens.

Porque existe tal desigualdade? As respostas poderão ser variadas, mas é evidente, parece-me, que tal diferença se mantém porque beneficia a interesses poderosos, ganham muito com ela.

Outra questão evidente é a de apurar a forma de ultrapassar esse problema. Está complicado, não é fácil.

Uma linha que se desenha no discurso oficial é a de promover o acesso das mulheres aos lugares de topo na gestão empresarial. Importante, sem dúvida, e não apenas por questões remuneratórias. Mas, por si só, insuficiente. É o que parece indicar o caso dos EUA, onde as mulheres representam quase 45% dos gestores - uma percentagem nitidamente superior à portuguesa - e, no entanto, a discriminação salarial das mulheres é muito maior.

Então, que soluções... pois, está difícil...

 

 

gestoras.jpg

 

12
Ago18

Mais como trabalhadoras, Menos como Gestoras

Albertino Ferreira

Como na generalidade dos países, em Portugal, a participação das mulheres na gestão, as gestoras, é inferior à sua presença no mundo do trabalho, as trabalhadoras. É um sinal de desigualdade da mulher. Embora se deva sublinhar que, no nosso país, o panorama é mais sorridente do que na generalidade dos outros, alguns dos quais são tomados como referência de desenvolvimento e liderança ao nível da UE.

Evidentemente, se o olhar se focasse também no mundo da participação social, nas comissões de trabalhadores e nos sindicatos, a conclusão deveria ser idêntica: as mulheres estão sub-representadas.

 

Dd8k0QHVwAEBKeY.jpg

 

 

 

11
Ago18

A Resiliência dos Estudantes Está a Aumentar

Albertino Ferreira

A escola está a responder melhor às necessidades dos estudantes mais desfavorecidos, permitindo-lhes alcançar níveis mais elevados de qualificação, atestados pela OCDE, ultrapassando as desvantagens sócio económicas do seu meio familiar. Todavia, mau grado os progressos realizados, Portugal ainda tem muito trabalho para fazer para ficar entre os melhores.

 

resiliência.jpg

 

 

10
Ago18

Salários Muito Baixos

Albertino Ferreira

 

O salário médio em Portugal é incrivelmente baixo, o 8.º mais baixo de entre os 35 países da OCDE. Ganha-se mal no nosso país. Não deixe de se reparar que se trata de uma média. Logo, o vencimento de muitos trabalhadores, empregados ou funcionários está abaixo do valor apresentado, calculado pelo método da OCDE.

 

 

 

A mesma visão se tem reduzindo a observação para a União Europeia. O que sobressai é que o modelo escolhido para o nosso país pela elite dirigente é o modelo dos baixos salários. O discurso oficial diral algo completamente diferente, mas, ante a realidade, é evidente que se trata de mistificação.

 

 

E ainda mais chocante fica considerando apenas a Zona Euro.

 

 

30
Jul18

Dos mais desiguais

Albertino Ferreira

Portugal resulta ser dos países mais desiguais na repartição primária do rendimento (entre o fator trabalho e o fator capital); o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade, é quase de 50. Depois dos impostos sobre o rendimento e as transferências sociais, a desigualdade reduz-se sensivelmente, contudo, Portugal mantém-se, ainda assim, como um dos países mais desiguais.

causafig1.png

 Nota: O Coeficiente de Gini varia entre o valor 0 = a igualdade é absoluta, todos têm o mesmo rendimento,  e o valor 100 = a desigualdade é extrema, um único indivíduo detém todo o rendimento. Por isso, quanto maior for o seu valor, maior a desigualdade.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D