Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

30
Out21

Sobre o momento político

Albertino Ferreira

1 - O PS, obedecendo aos corruptos e à UE, decidiu afasta-se do PCP para gerir a seu bel prazer o dinheiro da bazuka que vem aí. Preparam-se para afundar no lodaçal da corrupção esses fundos, como aconteceu com os primeiros que vieram da UE, então CEE.

2 - Alguém acredita que o grande patronato, a banca, a UE aceitariam que os fundos da bazuka, o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) fosse gerido por um governo que o PCP ou o BE pudessem influenciar, ainda que minimamente?

3 - O PS é solução? Se você acredita. Solução para quê?

4 - O que você está a apresentar (más sondagens para o PCP e BE) são as razões pelas quais o Gov apresentou um orçamento para ser chumbado, porque quer eleições, em aliança com o Marcelo e possivelmente em obediência a ordens da UE. Por essa razão também televisões e comentadores só falam de eleições.

5 - Grande surpresa, amanheceu como sempre, até com sol, os carros circulam normalmente, a bomba de gasolina está aberta, o supermercado também. Até as gaivotas estão pousadas nos mesmos postes! Como pode ser tudo isso, com a grande crise, crise histórica que está aí, dizem alguns!

6 - Faça um exercício de memória, nas ocasiões do passado semelhantes a esta não foi sempre esse o discurso, uma crise política e tudo o resto. Eleições? As pessoas serem chamadas a votar é crise política? Não seria melhor repensar esses lugares comuns?

7 - Os eternos comentadores, com muita responsabilidade na situação do país, no seu debitar da cartola, reconhecem que os partidos não são todos iguais, que nem todos andam atrás de tacho. O PCP e o BE, resulta das palavras deles, votaram no que acreditam, não se importando de eventualmente perder lugares.

8 - Será um voto útil se for para resolver os problemas, se for o voto nos mesmos de sempre, que utilidade terá? Será um voto no marasmo, que conhecemos há dezenas de anos.

9 - Como é que 47 anos passados de 25A, 46 anos depois do 11N - que segundo alguns veio endireitar as coisas, 35 anos depois da adesão à UE, alguém ainda ache naturalíssimo falar na existência de "pobres e mais pobres"? Por favor....

10 - Então, temos teatro presidencial? O Marcelo (no multibanco), com a influência que tem, ainda organiza um talk show!

11 - O país está com Orçamento. O OGE dura até 31 de Dezembro. No dia 1 de janeiro, se não houver orçamento, é que o país fica a viver com o OGE de 2021, ou seja, passa a viver em duodécimos.

12 - O OGE foi chumbado? O gov, ouvidas todas as partes, tem agora a obrigação de apresentar outra proposta que responda a alguns dos oponentes.

13 - Caramba, com tão bons governos, como é que neste país ainda há pobres e mais pobres?

14 - Parece-me que de há muitos anos para cá Portugal é desgovernado pelos mesmos ou aparentados que desgovernaram durante 48 anos e que para o fazer se escudaram na UE que até impõe o mesmos fascismo orçamentário que o outro já impunha.

15 - Não compreendo o enquadramento estratégico do BE, que classes e camadas sociais querem eles representar? A mim parece-me que eles teriam muito êxito se se dirigissem aos setores a que se dirige o PAN. Mas eles lá sabem!

21
Mai20

O Programa de Estabilidade 2020 e quem pagará as medidas de combate à «COVID 19»

Albertino Ferreira

21754292_qfJFC.jpeg

Neste estudo o economista Eugénio Rosa analisa as diversas medidas aprovadas pelo governo de apoio às famílias e às empresas.

Os seus custos, os valores de despesa previstos pelo governo no Programa de Estabilidade 2020 que apresentou à Assembleia da República, e quem vai suportar os custos que são enormes – Orçamento do Estado ou Segurança Social.

Está prevista uma despesa que permite pagar o “lay-off” apenas a 792.000 trabalhadores quando no fim de Abril já estavam inscritos 1.328.000 trabalhadores.

Demonstra-se que se for o Orçamento do Estado só pode ser feito com receitas de impostos. Se for a Segurança Social poderá por em causa a própria sustentabilidade da mesma.

E conclui que, há mais vida para além do “coronavírus” e é preciso que o medo não paralise em casa os portugueses pois, caso contrário, as consequências da hecatombe económica, social, e a perda de direitos ultrapassarão certamente as do “COVID 19”:

(523.000 trabalhadores inscritos para “lay-off sem cobertura na despesa prevista no Programa de Estabilidade 2020 apresentado pelo governo, o desemprego, a falta de rendimentos, e a miséria estão a alastrar por todo o país perante o silencio e passividade causado pelo “coronavírus”).

Espero que este estudo possa ser útil para a reflexão e debate sereno e objectivo sobre situação actual que é grave também a nível económico, social e de perda de direitos dos trabalhadores, perante o silêncio da comunicação social que só fala de infectados e de mortes causada pelo «coronavírus».

21812243_h9dUA.gif

Para Ler:

 

Com a devida vénia: 

O CASTENDO

11
Abr20

Cuidados com a Saúde

Albertino Ferreira

Os EUA são o país que mais dinheiro despende. Simplesmente não é bem com os cuidados de saúde, antes com os negócios da saúde, com as seguradoras, com as farmacêuticas, tudo empresas privadas, cujo objetivo é o lucro, por isso sacam o mais que podem de dinheiro público afim de manter elevada a cotações das ações. Nos EUA e em outros lugares. Os cidadãos estão a pagar um preço muito elevado por esse estado de coisas.

21311.jpeg

 

06
Nov18

O paganismo financeiro da UE

Albertino Ferreira

Portugal registou o segundo maior défice orçamental da UE (3%), em termos relativos e a terceira maior dívida pública, também em relação ao Produto Interno Bruto.

O défice e a dívida são os deuses da mitologia da UE, aos quais se têm de fazer todos os sacrifícios.

O que eles escondem é a razão de ser de tais défices e dívidas, o dinheiro para a banca gulotona, e outros gulotões, como as parcerias público-privadas, para garantir negociatas sem risco e com muito lucro para os amigalhaços.

DqK0NE9XQAAd2nk.jpg

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub