Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Artigos Meus

Artigos Meus

28
Mar19

Quebra brutal do poder de compra dos trabalhadores

Albertino Ferreira

Os trabalhadores portugueses foram brutalmente penalizados para que o governo, a UE e a troica safassem os bancos as malfeitorias em que se meteram; o poder real de compra dos salários sofreu a 3.ª maior redução na UE. Desde então vereficou-se um certo alívio, é verdade, mas nada que se compare ao que já foi, muito menos ao que precisava e era possível ser.

chartoftheday_13287_where_wages_are_shrinking_in_t

 

30
Nov18

O Poder de Compra Concelhio

Albertino Ferreira

Dos concelhos analisados, é o de Santa Maria da Feira que tem um maior peso no poder de compra a nível nacional - 1,41%.

O que se explica pela sua população residente, que é maior; individualmente, o poder de compra de cada feirense é menor do que o poder de compra de cada pessoa em quase todos os outros concelhos, mas como a população do concelho é substancialmente maior, todos juntos acabam por representar um maior poder de compra no total nacional.

 

Por outro lado, a quebra verificada, 2015 versus 2000, em Espinho e São João da Madeira deve dever-se a uma diminuição da população, talvez conjugada com a queda do poder de compra individual, no caso deste segundo concelho.

ppc.png

 

28
Nov18

Impostos a mais face ao custo de vida

Albertino Ferreira

Se a carga fiscal (impostos + contribuições para a Segurança Social) sobre os salários em Portugal é inferior à francesa, por exemplo, e se, apesar disso, os trabalhadores franceses têm um nível de vida bem superior ao dos portugueses é porque o poder de compra do seu salário líquido supera em muito o dos portugueses, ou, dito de outro modo, o custo de vida em França ponderado pelo salário é inferior ao de Portugal. Muito claramente, os trabalhadores portugueses pagam demasiados impostos sobre o seu vencimento face ao alto custo de vida do país

DVhamNqWAAEFRtQ.jpg

 

26
Nov18

Poder de Compra Concelhio

Albertino Ferreira

Dos concelhos indicados, apenas os cidadãos de São João da Madeira, de Aveiro e Espinho têm um poder de compra superior à média de Portugal. Nos outros - Ovar, Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis - o poder de compra das pessoas mantém-se abaixo da média nacional.

 

pccpc.png

De 2000 para 2015 as pessoas de São João da Madeira perderam poder de compra - uma quebra de 12,6 pontos percentuais - assim como as de Aveiro; pode dizer-se, que os habitantes desses concelhos continuaram mais ricos do que o dos outros, mas menos; e, claro, mais ricos do que a média dos portugueses.

Ao contrário desses concelhos, nos outros ganhou-se poder de compra, com destaque para Ovar - um acréscimo de 15,40 pontos percentuais.

 

pccpcpp.png

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D